Escrito em por & arquivado em Direito Civil, Notícias, Notícias do dia.


A Justiça do estado de Goiás decidiu a favor de um casal que perdeu parte da sua lua de mel por atraso em voo da companhia Azul Linhas Aéreas Brasileiras S/A, após investimento de R$ 12 mil em pacote de viagem, feito em conjunto com a Decolar.

O caso

Consta nos autos processuais que o casal teria adquirido o pacote de viagem através do site da Decolar, no valor de R$ 12 mil, incluindo as passagens aéreas, traslado, passeios e hospedagem em Fernando de Noronha. Eles chegaram a viajar de Goiás até Recife, onde fariam uma conexão, mas foram informados de que a viagem atrasaria.

Após várias horas sem informações, o casal foi encaminhado para um hotel do aeroporto, onde se acomodaram em um quarto de solteiro. Assim, perderam a estadia no destino em que estava reservado para passar a lua de mel.

Visão da Justiça

Na decisão do 2º Juizado Especial Cível da comarca de Anápolis, em Goiás, a relatora argumentou que o caso da alteração da malha aérea é corriqueiro entre as companhias, mas sempre há riscos. Nesses casos, cabe às empresas repararem seus consumidores por transtornos ocorridos de atrasos e/ou cancelamentos dos voos.

Em sua defesa, a Azul alegou que devido às condições climáticas o voo foi cancelado naquela ocasião. Por sua vez, a Decolar defendeu que não possui controle sobre as decisões das companhias aéreas, depositando a responsabilidade exclusiva da Azul nesse caso.

Entretanto, as duas empresas foram condenadas ao pagamento de indenização solidária por danos morais e materiais ao casal, no valor de R$ 7 mil reais, referente aos dias perdidos do pacote de lua de mel em Fernando de Noronha.

Cabe recurso da sentença.

Fonte: Veículos de mídia